Como proteger seu negócio e promover o sucesso

executivo fazendo gestão de risco da sua empresa

Como proteger seu negócio e promover o sucesso

Por mais que uma empresa crie ações preventivas para mitigar os riscos, eles estarão ali: seja por fatores externos, ou questões que não estavam previstas.

De qualquer forma, manter a gestão de riscos em uma organização é um elemento significativo para reduzir as chances de ameaças.

Nesse sentido, o planejamento é a chave para blindar a empresa de possíveis crises, fortalecendo a companhia e todas as suas áreas.

Mas, enfim, uma vez que realizar uma gestão de riscos de forma eficiente? Neste cláusula, explicamos o passo a passo!

O que é gestão de riscos?

A gestão de riscos é uma prática fundamental para organizações que buscam se manter preparadas para mourejar com cenários incertos.

Risco, nesse contexto, é definido uma vez que um evento ou situação das quais resultado é incerto e que pode ter impactos negativos sobre os objetivos e metas da organização.

A gestão de riscos envolve a identificação, avaliação e controle desses eventos, com o objetivo de minimizar suas potenciais consequências.

Para controlar a organização em relação às ameaças potenciais, é necessário utilizar os recursos humanos de forma eficiente, o que prevê a alocação adequada dos colaboradores.

Ou por outra, a capacitação para mourejar com situações de risco e a promoção de uma cultura organizacional que valorize esse atributo também é necessário.

Antecipar possíveis situações de risco e incorporar práticas preventivas nos processos da empresa são passos importantes, assim uma vez que a implementação de políticas e tecnologias que ajudem a identificar, calcular e reduzir ameaças antes que se tornem problemas significativos.

Sendo assim, agir rapidamente diante de incertezas e mudanças de cenário é uma particularidade indispensável para uma gestão de riscos eficiente.

Pessoas comemorando em uma reunião de GPD

Quais os tipos de riscos para uma empresa?

A gestão de riscos é uma prática necessário para organizações que buscam prometer sua sustentabilidade e propagação contínuo.

Dentre os desafios enfrentados, existem os riscos estratégicos, financeiros e operacionais.

Compreender e se notar a esses diversos riscos é fundamental para testificar o sucesso da sua empresa. Conheça os tipos de riscos para permanecer de olho:

Riscos estratégicos

Os riscos estratégicos estão diretamente ligados à visão de longo prazo da empresa. Essas ameaças podem surgir a partir de mudanças no mercado, ingressão de novos concorrentes e alterações nas leis que norteiam o setor.

São questões que têm o potencial de impactar significativamente o propagação e a saúde universal da empresa.

Por isso, identificar e entender essas ameaças é necessário para que a organização possa antecipar desafios, pensar em soluções estratégicas e, assim, manter-se competitiva.

A estudo detalhada desses riscos é fundamental, e a implementação de políticas e programas preventivos ajuda a evitar possíveis consequências.

Riscos financeiros

Os riscos financeiros são inerentes às mudanças que ocorrem na economia. Variações nas taxas de juros, oscilações cambiais e a possibilidade de clientes tornarem-se inadimplentes são só alguns exemplos.

Tais variáveis podem interferir na capacidade da empresa em honrar compromissos financeiros, uma vez que o pagamento de despesas e dívidas.

Se não gerenciados adequadamente, esses riscos podem desencadear uma crise financeira.

Portanto, o indicado é que a sua empresa adote medidas proativas, uma vez que estratégias de  análises de crédito, diminuindo, assim, os impactos adversos dessas incertezas.

Riscos operacionais

Já os riscos operacionais estão relacionados às atividades de rotina da empresa, uma vez que falhas em processos, problemas com fornecedores, logística, estoque, roubos, fraudes e questões judiciais.

Essas questões são graves e têm o potencial de prejudicar a produtividade da empresa, afetando a qualidade dos produtos e serviços oferecidos.

Para evitar esses riscos, as empresas devem implementar sistemas robustos de controle de qualidade, manutenção preventiva, monitoramento de fornecedores e treinamento adequado para seus colaboradores.

Lembre-se: a eficiência na gestão operacional é a chave para evitar interrupções nas operações e prometer a entrega de valor aos clientes.

Os ISOs na gestão de risco

As normas ISO atuam de forma significativa na gestão de risco, fornecendo diretrizes e padrões internacionalmente reconhecidos para prometer a eficiência e segurança nos processos empresariais. São elas:

ISO 9001

A ISO 9001 estabelece requisitos para sistemas de gestão da qualidade, visando testificar que as empresas forneçam produtos e serviços que atendam às necessidades dos clientes. Ao focar na melhoria contínua de processos, a ISO 9001 promove a superioridade operacional, e a satisfação do cliente.

ISO 31000

Eu e ISO 31000uma norma internacional dedicada à gestão de riscos, oferece diretrizes para análises e avaliações de risco.

Aplicável a empresas públicas, privadas ou comunitárias, a ISO 31000 atua no planejamento, gerenciamento e processos de informação, atuando na melhoria da gestão e garantindo a segurança no lugar de trabalho.

Ao priorizar a eficiência operacional, a governança e a construção da crédito, a ISO 31000 torna-se uma instrumento valiosa para organizações que buscam prosperar em ambientes complexos e dinâmicos.

Ferramentas de gestão de riscos

E se

A sentença “What If” (“E se”, em português) envolve a formulação de perguntas do tipo “E se isso acontecer?” para estudar as implicações potenciais de eventos improváveis, mas possíveis. Ao realizar análises de cenários “E se”as organizações podem desenvolver planos de contingência e estratégias de resposta para mourejar com situações adversas.

PFMEA

Mormente eficiente para riscos relacionados a processos específicos, a PFMEA (Process Failure Mode and Effects Analysis) concentra-se em identificar possíveis falhas no processo.

A equipe revisa minuciosamente cada lanço do processo, identificando falhas potenciais e propondo soluções antes que se tornem problemas significativos.

Matriz GUT

Já a Matriz GUT é uma instrumento de priorização que utiliza os atributos Sisudez, Urgência e Tendência. Os riscos que podem afetar a empresa são listados, e cada um recebe notas de 1 a 5 em cada atributo.

Ao multiplicar as notas, é provável obter um resultado final que permite a priorização eficiente, focando nos riscos mais críticos e urgentes.

Estudo Prévio de Riscos (APR)

Por término, a Estudo Prévio de Riscos, ou APR, é empregada para identificar riscos associados a projetos, produtos ou processos.

Assim, a equipe realiza uma estudo detalhada do proporção de risco envolvido em cada lanço, sugerindo medidas para controlar possíveis adversidades.

Esse processo preventivo contribui para a tomada de decisões embasadas desde as fases iniciais de um projeto até a sua epílogo.

O processo da gestão de risco

Identifique os riscos

No primeiro estágio, a sua empresa deve identificar e documentar todos os riscos potenciais que podem afetar seus objetivos.

Esse processo abrange ameaças e oportunidades, sejam elas de origem interna ou externa, proporcionando uma visão ampla do cenário de riscos enfrentado.

Avalie os riscos

Em seguida a identificação, a avaliação de riscos entra em cena. Nesta lanço, a organização analisa a verosimilhança e o impacto de cada risco identificado priorizando-os com base em sua criticidade. Com essa estudo, a empresa consegue direcionar os recursos e a atenção para os riscos mais significativos.

Desenvolva um projeto

Com os riscos identificados e avaliados, é hora de elaborar estratégias e planos para mourejar com esses desafios, que podem incluir a redução, transferência, roboração ou prevenção de riscos.

Dessa forma, o projeto desenvolvido define responsabilidades, alocando recursos necessários e estabelecendo um cronograma para a implementação das medidas.

Implemente o projeto

Na temporada de implementação, as ações delineadas no projeto de gestão de riscos são executadas.

Esse processo envolve a integração de medidas preventivas e corretivas para gerenciar efetivamente os riscos identificados, garantindo que a organização esteja preparada para mourejar com potenciais adversidades.

Monitore e revise continuamente o projecto de gestão de risco

Por término, estabelece-se um sistema de monitoramento jacente para calcular a eficiência do projecto ao longo do tempo.

A empresa deve revisar periodicamente a adequação do projecto em resposta a mudanças no envolvente interno ou extrínseco, garantindo que a gestão de riscos permaneça adaptativa e alinhada às necessidades do negócio.

Esse séquito contínuo é fundamental para sustentar a previsibilidade e o sucesso organizacional em um envolvente empresarial em jacente evolução.

Desfecho

Em um cenário dinâmico e reptante, a gestão de riscos surge uma vez que um recurso importante para prometer o sucesso e a sustentabilidade das organizações.

Ao seguir as etapas de identificação, avaliação, desenvolvimento de projeto, implementação e monitoramento contínuo, é provável edificar um planejamento eficiente para enfrentar os desafios imprevisíveis.

Nesse sentido, a Governança Corporativa é uma aliada quando o objetivo é prometer a eficiência, transparência, prestação de contas e tomada de decisões responsáveis.

Quer saber os benefícios e os princípios desse importante elemento empresarial? Confira o teor completo sobre governança corporativa que preparamos!