qual é o CNAE para dropshipping

qual é o CNAE para dropshipping

O CNAE mais adequado para dropshipping é o CNAE 7490-1/04, referente a atividades de intermediação e agenciamento de serviços e negócios em universal, exceto imobiliários. Para tirar mais dúvidas sobre o tema, leia oriente cláusula com atenção! 

Vender sem estoque é um protótipo logístico que atrai a atenção de cada vez mais empreendedores. Isso porque oriente é um método mais barato e mais simples para fabricar um Ecommerce – mas isso não quer manifestar que ele não tenha suas regras.  E uma delas é a formalização do negócio.

Você sabe qual o CNAE para dropshipping? Se não, oriente cláusula vai te ajudar a deslindar.

Vamos falar sobre qual o código mais adequado para quem deseja vender sem estoque, uma vez que perfurar um CNPJ para dropshipping e uma vez que regularizar um negócio do tipo no Brasil. Para permanecer por dentro de todos os detalhes, continue lendo!

O que é CNAE para dropshipping?

O CNAE, {{sigla}} para Classificação Pátrio de Atividades Econômicas, é um sistema de categorização  formado por 7 dígitos, tendo uma vez que função a identificação da principal atividade econômica de uma empresa. Isso vale para negócios que são lojas físicas, Ecommerces e, simples, lojas que operam dentro do dropshipping.

No contexto específico do dropshipping, um protótipo logístico no qual o vendedor não mantém um estoque próprio, mas comercializa produtos de terceiros e encaminha os pedidos diretamente ao fornecedor que, por sua vez, realiza a entrega ao cliente final.

Por isso, nesse contexto, o CNAE assume um papel ainda mais crucial.

A escolha do código correto para dropshipping garante a conformidade com as normas fiscais e tributárias e também reflete a natureza exata da operação mercantil da empresa.

É importante sobresair que a Percentagem Pátrio de Classificação (CONCLA), vinculada ao Instituto Brasiliano de Geografia e Estatística (IBGE), é responsável pela definição e atualização dos códigos CNAE.

No Brasil, a seleção de um ou mais códigos CNAE é uma lanço obrigatória no processo de formalização de qualquer empresa.

📦 Leia também: Porquê vender com dropshipping? Conheça os 10 passos essenciais

Qual o CNAE para dropshipping?

O CNAE mais tempestivo para empresas que atuam com dropshipping é o 7490-1/04. Levante código é específico para atividades de intermediação e agenciamento de serviços e negócios em universal, com exceção dos imobiliários, o que se alinha perfeitamente com a natureza do dropshipping.

Embora não exista um CNAE individual para dropshipping, os empreendedores geralmente optam por códigos relacionados ao negócio varejista, dependendo da estrutura e do escopo de suas operações.

Alguns outros exemplos de CNAE mais específicos para comércios varejistas são:

  • CNAE 4781-4/00: artigos de vestuário;
  • CNAE  4763-6/01: videogames e artigos eletrônicos;
  • CNAE 4751-2/01: peças e acessórios para equipamentos de informática;
  • CNAE 4756-3/00: acessórios para instrumentos musicais;
  • CNAE 4789-0/04: acessórios para animais domésticos;
  • CNAE 4763-6/01: brinquedos e jogos eletrônicos;
  • Dentre outros.

💡 Para encontrar outros códigos referentes a negócio varejista, use o sistema de procura da CONCLA (Percentagem Pátrio de Classificação) oferecido pelo IBGE. É só procurar pela atividade econômica para encontrar o respectivo código!

Pode usar MEI para dropshipping?

Não, infelizmente, não é verosímil utilizar o regime de Microempreendedor Individual (MEI) para atuar no protótipo de dropshipping.

O principal motivo é que o CNAE específico para dropshipping não existe e, por isso, não está incluído na lista de atividades permitidas para MEI.

Logo, o que fazer?

Embora o MEI não seja uma opção viável para dropshipping, existem outras categorias jurídicas que podem ser adequadas para quem deseja empreender nesse protótipo logístico. Vamos olhar para algumas delas no próximo tópico…

Por hora, devemos sobresair exclusivamente que a escolha da estrutura jurídica ideal para o seu negócio de dropshipping deve ser feita com zelo e, preferencialmente, com o auxílio de um contador.

📋 Leia também: O guia completo para fazer a enunciação MEI sem dores de cabeça

Porquê perfurar um CNPJ: 5 passos

Iniciar um negócio no mundo do protótipo de dropshipping, requer não exclusivamente estratégia e planejamento, mas também a formalização lítico da sua empresa.

Um dos passos fundamentais nesse processo é a brecha do CNPJ (Cadastro Pátrio da Pessoa Jurídica). Levante registro legitima sua empresa perante as autoridades fiscais e tributárias, além de perfurar portas para oportunidades de desenvolvimento e credibilidade no mercado.

A seguir, vamos detalhar os 5 passos essenciais para perfurar um CNPJ, simplificando o que pode parecer um processo múltiplo. Vamos principiar?

1. Escolha a estrutura societária ideal

Ao perfurar um CNPJ para o seu negócio de dropshipping, o primeiro passo é resolver sobre a estrutura societária da sua empresa. Esta escolha é fundamental, pois define a forma uma vez que sua empresa será organizada e gerida, além de ter implicações legais e fiscais significativas.

Veja as opções disponíveis:

Empresário Individual (EI)

Se você prefere ser o único proprietário do seu negócio, a modalidade de Empresário Individual (EI) pode ser a mais adequada.

Nesta estrutura, não há separação entre o patrimônio pessoal e o da empresa, o que significa que suas finanças pessoais podem ser afetadas em caso de dívidas empresariais.

Por outro lado, é uma opção simplificada e com menos burocracia, ideal para quem está começando e prefere manter o controle totalidade.

Sociedade Limitada (LTDA) ou Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI)

Caso a teoria de ter sócios seja sedutor para você, considere formar uma Sociedade Limitada (LTDA).

Nesta modalidade, a responsabilidade de cada sócio é limitada ao valor de suas quotas, mas todos contribuem para a formação do capital social da empresa. É uma boa opção para quem procura compartilhar responsabilidades e recursos.

Outra opção é a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI). Cá, você ainda mantém o controle totalidade, mas com a vantagem de ter o seu patrimônio pessoal protegido das dívidas da empresa.

No entanto, para constituir uma EIRELI, é necessário um capital social mínimo, equivalente a pelo menos 10 vezes o salário mínimo vigente.

Lembre-se que a escolha da estrutura societária deve levar em conta não exclusivamente suas preferências pessoais, mas também os objetivos de longo prazo do seu negócio, a premência de capital e a disposição para mourejar com diferentes níveis de dificuldade administrativa e responsabilidade lítico.

🤝 Para saber mais sobre o material, leia: Conheça os 10 tipos de sociedade empresarial | Ecommerce na Prática.

2. Defina um dos tipos de empresa disponíveis

Posteriormente escolher a estrutura societária ideal para o seu negócio de dropshipping, o próximo passo é definir o tipo de empresa. Esta decisão é crucial, pois cada tipo tem suas características, vantagens e limitações.

Vamos explorar as opções de Microempresa (ME), Empresa de Pequeno Porte (EPP) e Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (EIRELI). Continue lendo!

2.1 ME

A Microempresa (ME) é uma óptimo opção para quem está começando pequeno. Levante tipo de empresa é ideal para negócios com faturamento anual de até R$ 360 milénio e  e contratam até 9 pessoas no negócio e serviços.

Uma das principais vantagens da ME é a simplicidade administrativa e a possibilidade de optar pelo regime tributário do Simples Pátrio, que simplifica o pagamento de impostos.

No entanto, é importante estar consciente de que, uma vez que ME, o patrimônio pessoal do empresário pode ser afetado em caso de dívidas da empresa. Ou por outra, se o seu negócio crescer e ultrapassar o limite de faturamento, será necessário transmigrar para outra categoria.

2.2 EPP

A Empresa de Pequeno Porte (EPP) é similar à ME, mas permite um faturamento anual entre R$ 360 milénio e R$ 4,8 milhões. Assim uma vez que a ME, a EPP pode optar pelo Simples Pátrio, o que facilita a gestão tributária.

Uma vantagem suplementar da EPP é a maior flexibilidade em termos de desenvolvimento antes de necessitar uma reclassificação. Por outro lado, assim uma vez que a ME, a separação entre o patrimônio pessoal e empresarial não é garantida, o que pode simbolizar um risco maior para o empresário.

2.3 EIRELI

A EIRELI (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada) é uma opção interessante para quem deseja separar o patrimônio pessoal do empresarial, protegendo seus bens pessoais em caso de dívidas da empresa.

Para constituir uma EIRELI, é necessário um capital social mínimo, que corresponde a pelo menos 10 vezes o salário mínimo vigente.

Esta modalidade é ideal para quem procura maior segurança patrimonial sem a premência de sócios. No entanto, o requisito de capital inicial pode ser um travanca para alguns empreendedores, mormente aqueles que estão começando com recursos limitados.

3. Escolha um regime tributário

A escolha do regime tributário impacta diretamente na forma uma vez que sua empresa pagará os impostos. A seguir, vamos explorar as três principais opções: Simples Pátrio, Lucro Real e Lucro Presumido. 

Simples Pátrio

O Simples Pátrio é um regime tributário simplificado, ideal para pequenas e médias empresas. Ele unifica 8 impostos em uma única guia de pagamento, facilitando a gestão fiscal.

Levante regime é dividido em anexos, cada um com diferentes alíquotas baseadas na receita bruta anual.

Para negócios de dropshipping, o Simples Pátrio pode ser bastante vantajoso, mormente em seguida as mudanças de 2018, que reclassificaram essas empresas para anexos com alíquotas menores.

Por exemplo, empresas com faturamento anual de até R$ 180 milénio podem remunerar alíquotas a partir de 6%, dependendo do incorporado em que se enquadram.

No entanto, o Simples Pátrio tem limitações de faturamento e não é adequado para todas as atividades empresariais. Ou por outra, a escolha deste regime exige um planejamento zeloso para evitar ultrapassar o limite de receita e ser excluído do sistema.

Lucro Real

O regime de Lucro Real é mais múltiplo e geralmente escolhido por empresas de maior porte. Neste regime, os impostos são calculados com base no lucro líquido real da empresa, em seguida ajustes fiscais. Isso significa que se a empresa não tiver lucro, os impostos serão menores.

Levante regime é indicado para empresas com altos faturamentos ou que possuem muitas despesas dedutíveis. No entanto, exige uma contabilidade mais detalhada e um controle rigoroso das finanças, o que pode aumentar os custos administrativos.

🪙 Você pode saber mais sobre o material lendo oriente cláusula: Lucro real: o que é e uma vez que funciona esse tipo de regime tributário

Lucro Presumido

O Lucro Presumido é um regime intermediário entre o Simples Pátrio e o Lucro Real. Nele, a tributação é calculada com base em uma presunção de lucro sobre a receita bruta.

Levante regime é indicado para empresas com receitas anuais de até R$ 78 milhões e que não se enquadram no Simples Pátrio.

Uma das vantagens do Lucro Presumido é a menor dificuldade em verificação ao Lucro Real, além de ser uma opção para empresas que ultrapassam o limite do Simples Pátrio. No entanto, pode não ser tão vantajoso para empresas com margens de lucro baixas, já que a presunção de lucro pode ser maior que o lucro real.

💸 Para saber mais sobre o Lucro Presumido, leia: O que é lucro presumido? Saiba uma vez que funciona essa forma de tributação.

4. Dê ingresso no processo de formalização e obtenha o CNPJ

Posteriormente definir a estrutura societária, o tipo de empresa e o regime tributário, o próximo passo na jornada de formalização do seu negócio de dropshipping é dar ingresso no processo de formalização e obter o CNPJ.

O primeiro passo para a formalização é a elaboração do ato constitutivo, no caso de uma EIRELI, ou do contrato social, para sociedades. Levante documento é a espinha dorsal da sua empresa, detalhando aspectos uma vez que o nome da empresa, objetivo, capital social, separação de quotas (se houver sócios), entre outros.

Com o ato constitutivo ou contrato social em mãos, o próximo passo é registrá-lo na Junta Mercantil do seu estado. Levante é um procedimento que oficializa a existência da sua empresa. A Junta Mercantil é responsável por validar todas as informações e prometer que tudo esteja de convénio com as normas legais.

Posteriormente o registro na Junta Mercantil, é hora de obter o Cadastro Pátrio da Pessoa Jurídica (CNPJ) junto à Receita Federalista. Para obtê-lo, você deve preencher a ficha de letreiro, selecionando o CNAE adequado para dropshipping, e enviar para a Receita Federalista.

5. Faça as inscrições necessárias e verifique as licenças

Posteriormente obter o CNPJ, o próximo passo no processo de formalização do seu negócio de dropshipping é realizar as inscrições necessárias e verificar as licenças exigidas. Levante é um passo para prometer que sua empresa opere dentro da legitimidade e esteja pronta para iniciar suas atividades comerciais.

O primeiro vista a considerar são as inscrições estaduais e municipais. Dependendo da natureza do seu negócio de dropshipping e da localização da sua empresa, diferentes inscrições podem ser necessárias.

Veja a diferença:

  • Letreiro Estadual: forçoso para empresas que comercializam produtos físicos, pois é ela que permite a emissão de notas fiscais de venda. Sem essa letreiro, você não poderá operar legalmente;
  • Letreiro Municipal: necessária para empresas que prestam serviços. Assim uma vez que a letreiro estadual, é fundamental para a emissão de notas fiscais de serviço.

Essas inscrições são importantes não exclusivamente para a emissão de notas fiscais, mas também para o pagamento de impostos específicos de cada esfera governamental.

Além das inscrições fiscais, é forçoso verificar a premência de licenças e alvarás para operar seu negócio de dropshipping. Embora o dropshipping muitas vezes não exija um espaço físico para estoque, algumas atividades podem requerer autorizações específicas.

  • Alvará de funcionamento: dependendo do seu município, mesmo que você opere de moradia, pode ser necessário obter um alvará de funcionamento. Levante documento certifica que sua empresa está apta a operar de convénio com as normas e regulamentos locais;
  • Licenças específicas: dependendo do tipo de resultado que você comercializa, podem ser necessárias licenças específicas. Por exemplo, se você vende produtos importados, provisões ou cosméticos, pode ser necessário executar regulamentações específicas e obter autorizações de órgãos uma vez que a Anvisa ou o Ministério da Lavra.

📜 Leia também: Nota fiscal no dropshipping: uma vez que enunciar? (GUIA).

Os impostos do dropshipping

As taxas e impostos relacionados ao dropshipping variam de convénio com o regime tributário escolhido, sendo os principais regimes o Simples Pátrio e o Lucro Presumido.

No regime do Simples Pátrio, por exemplo, os impostos são unificados em uma única guia, simplificando o processo de pagamento. As alíquotas variam de 6% a 15,5%, dependendo da receita bruta anual da empresa. Levante regime é ideal para pequenas empresas de dropshipping, pois oferece uma forma simplificada de mourejar com as obrigações fiscais.

Já para empresas que optam pelo regime de Lucro Presumido, a tributação pode variar de 13,33% a 16,33%. Levante regime é talhado a empresas com faturamento anual de até R$ 78 milhões. Embora ofereça uma forma simplificada de operação de impostos, exige um controle mais detalhado das receitas e despesas.

Uma mudança significativa no cenário do dropshipping é a implementação do Programa Remessa Conforme pela Receita Federalista, que entrou em vigor em agosto de 2023.

Levante programa visa agilizar o processo aduaneiro e reduzir custos para empresas que se enquadram em seus critérios. Com a adesão ao programa, as empresas têm isenção do imposto de importação para compras de até US$ 50, mas ainda são responsáveis pelo recolhimento do ICMS, um tributo estadual.

Para compras supra de US$ 50, a tributação federalista permanece a mesma, com uma alíquota de 60% sobre o imposto de importação. Ou por outra, os lojistas de dropshipping precisam informar aos consumidores a origem dos produtos e o valor totalidade da mercadoria, incluindo os tributos.

💰 Para saber mais sobre as taxas associadas ao dropshipping, sugerimos a leitura: Porquê vai permanecer o dropshipping com as taxas no Brasil?

Porquê regularizar uma loja de dropshipping?

Agora você já sabe qual o CNAE para dropshipping, quais os regimes tributários que você pode usar e até quais os impostos que você paga ao vender sem estoque. Logo, que tal falarmos um pouco sobre a regularização da loja?

Esse é um passo importante, que garante o bom funcionamento do seu negócio e a sua credibilidade perante o público. Leia nossas dicas aquém…

1. Escolha uma boa plataforma de Ecommerce

O primeiro passo para regularizar sua loja de dropshipping é escolher uma plataforma de Ecommerce adequada. Esta escolha é fundamental, pois a plataforma será a base de toda a sua operação online.

Procure por plataformas que ofereçam firmeza, segurança, boas opções de personalização e integração fácil com fornecedores e gateways de pagamento.

Algumas plataformas oferecem recursos específicos para dropshipping, uma vez que integração com fornecedores e automatização de pedidos, uma vez que é o caso da Nuvemshop, por meio do aplicativo Dropi.

☁️ A Nuvemshop é a maior plataforma de Ecommerce da América Latina e, por muitos, considerada a melhor plataforma para fazer dropshipping. Se você quiser saber mais sobre o material, sugerimos que leia: Nuvemshop dropshipping: o que é e uma vez que configurar? Veja

2. Crie seu CNPJ com o CNAE correto

Posteriormente escolher a plataforma, o próximo passo é formalizar sua empresa obtendo um CNPJ. Para uma loja de dropshipping, é importante escolher o CNAE (Classificação Pátrio de Atividades Econômicas) correto.

Porquê você já sabe, o CNAE mais utilizado para dropshipping é o 7490-1/04, que se refere a atividades de intermediação e agenciamento de serviços e negócios em universal, exceto imobiliários.

3. Emita notas fiscais nas vendas

A emissão de notas fiscais é um requisito lítico para qualquer venda realizada em sua loja de dropshipping. A nota fiscal não exclusivamente comprova a venda e entrega do resultado, mas também é forçoso para a transparência fiscal do seu negócio.

Enunciar notas fiscais garante que você esteja em conformidade com as leis do Ecommerce no Brasil, sobretudo as tributárias, e ajuda a erigir uma imagem de seriedade e confiabilidade para sua loja.

Para enunciar notas fiscais, você precisará de um software de emissão que esteja integrado ao seu sistema de Ecommerce. Muitas plataformas de ecommerce oferecem essa integração, facilitando o processo.

4. Contrate um contador, se verosímil

Embora não seja obrigatório, ter um contador pode ser extremamente vantajoso para a gestão do seu negócio de dropshipping.

Um serviço de contabilidade para dropshipping pode ajudar na escolha do regime tributário mais vantajoso, na gestão fiscal e tributária, e na solução de questões legais relacionadas ao seu negócio.

Ou por outra, um contador pode oferecer orientações valiosas sobre uma vez que otimizar seus processos financeiros e prometer que você esteja sempre em dia com suas obrigações fiscais.

Aprenda a fazer dropshipping e fature mais de R$30 milénio por mês!

Ao longo deste guia, exploramos passos fundamentais para estabelecer e regularizar sua loja, usando o CNAE para dropshipping correto. Cada lanço é um degrau na escada para o sucesso do seu negócio online. Mas, não se engane – o caminho para se tornar um rabino no dropshipping não termina cá.

Se você está realmente comprometido em transformar sua loja de dropshipping em uma história de sucesso, portanto é hora de dar o próximo passo

Com o curso “Dropshipping do Zero”, você aprenderá estratégias avançadas e práticas que vão te fazer faturar mais de R$ 30 milénio por mês, exclusivamente com dropshipping. Esse é um método criado por especialistas e validado por empreendedores, uma vez que você.

Vamos juntos nessa jornada?

Perguntas Frequentes

Qual o CNAE correto para dropshipping?

O CNAE mais adequado para dropshipping é o 7490-1/04, referente a atividades de intermediação e agenciamento de serviços e negócios em universal. Para encontrar outros códigos, use o sistema de procura da Percentagem Pátrio de Classificação, oferecido pelo IBGE.

Quem faz dropshipping pode ser MEI?

Não, o MEI não é adequado para dropshipping, pois o CNAE específico para esta atividade não está na lista de atividades permitidas para MEI.

Porquê perfurar um CNPJ para trabalhar com dropshipping?

Primeiro, escolha a estrutura societária e defina o tipo de empresa (ME, EPP, EIRELI). Depois, escolha um regime tributário e formalize a empresa, registrando o ato constitutivo ou contrato social na Junta Mercantil. Obtenha o CNPJ na Receita Federalista e realize inscrições estaduais/municipais.